SER PORTUENSE É...
  • Ter nascido pelas mãos das parteiras Dona Olinda e Maria do Morro

  • Ter se deliciado com o picolé do Zoroastro ou do Bar do Tatão, e ter tomado sorvete na taça no bar do Juca Soldati

  • Ter nadado escondido e pelado no Rio Pomba ou na cachoeira da Pasquina

  • Ter navegado de bote rio Pomba abaixo “pegando” frutas nos quintais

  • Ter participado ou assistido aos jogos do Portuense e Sete de Setembro

  • Ter participado das festividades do Clube Caramonãs.

  • Ter feito compras nos balcões da  Casa Almada, Venda dos Linhares, Saps, Povoa e   Domiciano, e nos açougues Zé Luiz ou do Zozote.

  • Escutado os discursos do Sr. Astolfo de Oliveira  ou Mário Vitoriano.

  • Apreciado os dobrados de nossas bandas desde o Sr. Teotônio Jorge

  • Ouvido as “pérolas” da Maria Bubu, Sadi, Cozinho, Bilu, Tilim e Caboquinho...

  • Prestigiado ou participado do programa “A Rua das Confusões” na Sede do Edir   Dalforne

  • Assistido  a peças teatrais do Grupo Os Caramonãs e aos espetáculos do Circo Irmãos Campagnolli.

  • Sido aluno do Souza Primo, Wadengo, Arthur, Marino, Cristina, Jarbas de Freitas...

  • Ter recebido as primeiras orientações escolares das mestras Abigail, Nieta, Natalina,   Nely Dariú, Josélia, Balbina, Ruth Vieira e Luiza, e as advertências do Chico Pequeno.

  • Assistido a filmes inesquecíveis no Cine Brasil e Cine Serrador com Ritinha, Nery e Nésia, Fadinha, Turguinha e Juca, às gargalhadas do Carlos Zoeira na torrinha.

  • Tido catecismo com Natalina Ferreira, Maria Vaz e  Aparecida Justi.

  • Ter coroado ou colocado lírio na antiga Matriz de Santo Antônio ou na Capela São José com direito a doces,  bengalas de fogo e banda tocando atrás.

  • Ter sido atendido pelos médicos Dr. Grossi e Dr. Arthur ou curado por benzedeiras.

  • Ter saboreado boas fatias de bolo de casamento feito pela Nicinha do Xandu.

  • Dançado ao som do Marabá  na Urca e Esquema 7 na Choupana ou Caramuru

  • Utilizado os carros de praça do Zé de Castro e do Tatá.

  • Consertado aparelho de rádio ou televisão com o Mariosa ou Darmo.

  • Consertado sapatos com Mundinho, Zé Ganchinho, Geraldo Borella, Vitor, Fernando e Chico Sapateiro.

  • Feito cabelo ou barba com Sr. Alencar, seu filho Dedé ou com Davi de Paula, Chicão, Sr. João Dias,  Reni Medeiros ou ainda com João Maricota,  Adão e Alípio.

  • Consertado relógio e guarda-chuva com o Niquito e João Buquinha

  • Embarcado na Maria Fumaça da Leopoldina e nos ônibus do Miguel Guércio,  Marote e José Maria  Rodrigues conduzidos pelos próprios.

  • Participado dos leilões festivos com os leiloeiros Antônio Scher e João Carimbamba e víspora cantado pelo Luquinha Loures.

  • Feito uma fezinha no bicho no Raul Vaz, Seu Garone ou Alvarino.

  • Participado direta ou indiretamente da produção de fumo, do plantio, pindoba, fiação, empacotamento, embalagem, venda, transporte e controle contábil, e tomado tombo  tentando se equilibrar no macaco que segura o pau de fumo.

  • Namorado ou brincado na praça antiga e ter sido fotografado pelo João Retratista.

  • Adquirido bilhete da loteria com Zacarias, Otília Miranda ou Milton Ribeiro.

  • Tratado de dente com o Jota, Zé Lucas, Contin ou Zé Lima.

  • Curtido os carnavais na Coad, Sede dos Operários e na Urca da Elite ao som da Banda do Asilo.

  • Sido coroinha dos Padres Adriano, Sérgio ou Padre João.

  • Presenciado as peripécias do Domingão, Jáda da Landa, Chiquinho Torto, Zé Cinco Letras e Agnelo.

  • Acompanhado a procissão com Pedrinho do Aristóteles na frente levando a cruz

  • Tomado cachaça em copo lavado na mesma água de bacia no boteco do Zé Guarani.

  • Comido a caçarola da Padaria do Praxedes, o pão do Hermínio Bigonha e churrasco do Jonas Caiêra.

  • Esperado o músico Geraldo Diogo completar uma ligação no posto telefônico,  ouvindo-o  solfejando o som de um baixo..pô pô pô porórópopô...

  • Ouvido os arrotos do Caboquinho e os xingamentos ao saber de chuva.

  • Uma imagem feita pelo Francisquinho Linhares, João Pessoa ou Foto Íris ou  Lídice.

  • Bebido água da biquinha no Cabibó.

  • Corrido atrás nas ruas, para pegar cana dos caminhões da Usina Paraiso.

  • Participado das serenatas com Totó, João Scher, Zi Oliveira, Xêne, Zé Célio, Alan e João Vespúcio...

  • Passado aperto com os delegados Serrão, Juca Jorge e Nelsinho Linhares

  • Tomado injeção, comprado Cutsol Reis ou remédio nas farmácias  do Gute e  Héber  e vê-lo pegar o dinheiro   com as pontas dos dedos.

  • Jogado um carteado no Miliquilo

  • Saboreado os canudos da Dona Iracema Benini, geléia da Nair, empadinhas da Ana,  os pirulitos da Dulce do Durval Reis e os pastéis do Zé Gomes.

  • Paquerado nas extintas, praça da estação esperando a Maria Fumaça, ou na praça da matriz  enquanto as   moças rodavam pela direita e os rapazes pela esquerda.

  • Comprado mel de abelha ou tomado uma da boa na venda do Toniquim Abelha.

  • Dançado forró na Máquina de Café do Sr. Lintico e visto a força do funcionário Siranénio carregando sacos.

  • Assistido a um show pirotécnico do Tataco Rodela.

  • Ter feito impressos na tipografia e Gráfica Boa Nova do Nicola.

  • Ter usado os serviços dos Correios com Tarcísio Duque, Sebastiana, Wilson Linhares e Geraldo Póvoa.

  • Ter conhecido as construções do Venancinho e Lourival, comprado jornal e revistas do Paisana, e ter usado os serviços da funilaria do Pachiega e da selaria do Antônio Alves. 

  • Ser Portuense é ser Astolfodutrense de coração, 

  • É ouvir os mesmos causos contados por Hugo Vitoriano e Flávio Defilippo e rir sempre como na primeira vez.

  • É amar as serras e montanhas,

  • É sentir saudades,

  • É se emocionar, prosear,

  • É gostar de barzinho, dedo de prosa

  • É não sair daqui mesmo morando fora

  • É ser trabalhador, vencedor, artista, cantor e poeta,

  • É fazer parte da história...

ESTA É UMA HOMENAGEM DO JORNAL O PORTUENSE A TODOS OS LEITORES PORTUENSES E ASTOLFODUTRENSES.

NOVE ANOS DE INFORMAÇÃO E AMOR À TERRA