ASTOLFO DUTRA EM CORDEL - ZÉ GUTE

Nos meus versos de cordel

Eu volto caro leitor

Para falar das belezas

Das terras do interior,

Zona da Mata mineira

Astolfo Dutra é a primeira

Neste tipo de valor...

 

Astolfo, de Cataguases,

Mostrou seu potencial,

Várias vezes foi eleito

Deputado federal

Homem de fibra, influente,

Lutou pela nossa gente

Se fez pra sempre imortal!...

 

Cidade cheia de encantos

Tão bela de tal maneira

Que a natureza por si

Protegeu com cordilheira

Criando as serras mais lindas

Um cartão de boas vindas

Desta terra hospitaleira.

 

Serra do Hermínio Bigonha

Uma muralha entre a matas

Onde deslizam nascentes

Formando várias cascatas

E a seus pés mostra altaneira

A mais linda cachoeira

Para pobre s e magnatas.

 

Serra dos “Caramonos”

Índios do alto das colinas.

E nas margens do Rio Pomba,

Ante as águas cristalinas,

Os “Puris”, os “Coroados”

Os “Coropós” tão falados

Nesta região de Minas...

 

Tem a serra “dos Menezes”

Vulcão extinto parece

Imponente e magistral.

Mas quem olha não esquece

Paisagem que Deus artista

Da “Serra da Boa Vista”

Pintou em forma de prece.

 

E nestas águas tão puras

Onde o turista se banha

Muda a rotina num todo

E a nossa cidade ganha,

No verão traz alegria,

Milhares em romaria

Vêm para os pés da montanha.

 

Açude da usina e o verde,

Recanto pra descansar,

Barragem da Força e Luz

Uma imensidão de mar,

Passeio, barco a motor

O silêncio, paz e amor

Nesta terra há de encontrar...

 

Com doze mil habitantes

Santo Antônio Padroeiro

É tanta mulher bonita

Que o “Santo Casamenteiro”

Nos pedidos de promessas

Casando todas às pressas

Sobra mais pro ano inteiro!..

 

No sustento das famílias

Indústria têxtil é seu forte

Se tem muitas facções

Há firmas de grande porte

E os impostos na verdade

Põem progresso na cidade

Que se vê de sul a norte.

As polpas da Bela Ischia,

Nosso produtor rural,

O Macarrão Portuense

Comércio, escola, hospital,

Adubos Santa Maria

Dois Distritos, parceria,

Tem feira, rádio e jornal...

 

Arquitetura moderna

No concreto da matriz,

No clube Caramonãs

Na sociedade feliz

Que mostra sua cultura

Simplicidade a altura

De quem cala e tudo diz...

 

Terra de Luiz Linhares

Que no teatro e cinema

Foi sucesso nacional,

E com a voz pura e serena

Carlos Alberto eu venero

Maior cantor de bolero

Nasceu na terra pequena...

 

Minha terra foi Distrito

Pois tinha seu nome outrora

De “Porto de Santo Antônio”

Mas quem nele nasce agora

Se antes era “portuense”

Hoje é “astolfodutrense”

Orgulhoso de onde mora.

 

Pintores e artesãos

Poetas e professores

Profissionais liberais

Juventude e seus amores

Música e badalação

O luxo do “Barracão”

Com suas luzes e cores!...

 

O “Bloco do Vai quem quer”

Veja em nosso carnaval

A “Semana Portuense”

Festa do santo, afinal,

Charanga, São Sebastião,

Cavalaria, São João,

Fogos, danças, alto astral!...

 

Forró da terceira idade,

Banco Sicoob e o Brasil,

Dinherim” do aposentado

que esquecendo ser senil

se diverte, esquece o tédio,

economiza em remédio

dança alegre e juvenil...

 

A banda, causos, coreto

Na pracinha da matriz

Dedo de prosa, baralho,

Um jeito de ser feliz,

Malha, bocha, futebol,

Cachaça, pesca de anzol,

Costume, fé e raiz...

 

Seja bem vindo, “se achegue”

Nosso povo é acolhedor

O tamanho das montanhas

Mostra seu peso e valor

Vem que encontrará bem mais

Nas nossas Minas Gerais,

UMA JAZIDA DE AMOR!!!

Pagina 2